Agradecimento/Meta mais de 7000 mil visualizações alcançada.

30 dezembro, 2015 4 comentários


Olá amoras do meu core! Hoje vim fazer um post de agradecimento. Estou muito feliz pelo blog ter alcançado a meta do ano, sim, mas de 7000 mil visualizações. A meta chegou ontem, mas só hoje esse post estar saindo. Então vim agradecer de coração a todos vocês que acompanham o blog, até mesmo aqueles que só visita de vez em quando. De verdade, muito obrigada a todos, pelas visitas, pelos comentários, por tudo. Só tenho a agradecer a Deus e a vocês por isso, graças a isso o blog tem crescido muito. E espero crescer mais e mais, espero que possamos a chegar mais longe com isso. Estou muito feliz, obrigada a todos do fundo do meu coração. 

Bom, o post de hoje foi pequeno, mas calma que tem mais por vim. Então esse foi o post, não esqueça de deixar seu comentário e seu blog aqui para mim visitar. Siga o blog para acompanhar as postagens, e volte sempre. Vou ficando por aqui, um beijo pra vocês e até logo. 

5 Livros para Ler nas Férias.

29 dezembro, 2015 Nenhum comentário

Ooie gente, como vão vocês? Finalmente de volta, vou confessar que passei bastante tempo sem postar, peço desculpas por isso. Bom, hoje vim trazer uma post bem legal pra vocês, sobre ‘’5 livros para ler nas férias’’. Ler é algo muito bom para fazer nas férias, e então resolvi fazer esse post para vocês lerem nas suas férias. Vou confessar que alguns não li, mais ouvi dizer muito bem deles e eu pretendo ler muito em breve. Então bora conferir alguns livros que quero ler e que indico a vocês. Vem comigo!

- O Diário de Anne Frank. 

O primeiro livro é um livro que estou muito afim de ler, desde que vi na internet falando sobre ele, já me interessei pela história. O Diário de Anne Frank foi composto pela então adolescente Anne Frank, no período que se estende de 1942 a 1º de agosto de 1944. Esse diário poderia ser escrito por qualquer garota de 13 anos, nos tempos atuais, com todas as inquietudes e preocupações de uma jovem, se Anne não estivesse vivendo justamente em um dos contextos mais difíceis da história da Humanidade, a Segunda Guerra Mundial.           
   
SINOPSE: 

A jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de longos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente foi para Auschwitz, e mais tarde para Bergen-Belsen. Seu diário destaca sentimentos, aflições e pequenas alegrias de uma vida incomum, problemas da transformação da menina em mulher, o despertar do amor, a fé inabalável na religião e, principalmente, revela a rara nobreza de um espírito amadurecido no sofrimento. Um retrato da menina por trás do mito.



- O Menino do Pijama Listrado.

O segundo livro que escolhi, também tem um filme, que é muito bom por sinal. O Menino do Pijama Listrado, foi escrito por John Boyne em 2007. Já li o livro e é muito bom, apesar da história ser triste. ''É um livro envolvente que me prendeu do início ao fim, uma parte da História contada de maneira simples e pura pelo olhar de uma criança.'' É um livro tocante e uma leitura rápida, e vale apena ler. Super recomendo, é um dos meus favoritos. Mas se você já viu o filme, não precisa ler o livro, por que a historia é a mesma. 

SINOPSE: 


Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz ideia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.
Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

- The Walking Dead: A Ascensão do Governador. 


O terceiro livro que escolhi foi, The Walking Dead, a ascensão do Governador, o livro da série de TV The Walking Dead. O livro foi escrito por Robert Kirkaman e Jay Bonansisnga, em 2013. Escolhi esse livro, por ele ser muito bom, apesar de não ter lido a continuação ainda, ele é ótimo. Pode não ser um livro ideal para muita gente, por ele ser tratado com um livro ''aterrorizante'', mas ele não tem nada de assustador. A narração é feita com muita intensidade, e o autor consegue passar exatamente a emoção que deseja. E vale muito apena ler, quem gosta desse tipo de livros, garanto que vai gostar. 

SINOPSE: 


No universo de The Walking Dead não existe vilão maior do que o Governador, o déspota que comanda a cidade de Woodbury. Ele é o personagem mais controvertido em um mundo dominado por mortos-vivos. Neste romance os fãs descobrirão como ele se tornou esse homem e qual a origem de suas atitudes extremas. Para isso, é preciso conhecer a história de Phillip Blake, sua filha Penny e seu irmão Brian que, com outros dois amigos, irão cruzar cidades desoladas pelo apocalipse zumbi em busca da salvação. 









- Destrua Este Diário. 

O quarto livro que escolhi foi Destrua Este Diário, esse livro é bem diferente e criativo, apesar de eu ainda não ter ele... Mas ainda não entendo o fato de que você compra um livro para depois destruir, fora isso, o livro é muito legal e aliás pode se distrair com ele quando não estiver fazendo nada. A intenção do livro é você destruir completamente ele, a lombada, a páginas cortadas e amassadas, orelhas, esfregar, lambuza e até mesmo espalhar comidas nas páginas. Legal né? A autora Keri Smith, propõe que você destrua literalmente o livro das maneiras mais bizarras possível. Por que a cada página você encontra inúmeros desafios, que você pode cumpri-los da maneira que desejar e sem ser na ordem pré-determinada. É um bom livro para fazer coisas criativas nas férias, o legal é você fazer quando estiver realmente inspirado, com vontade de criar algo de diferente e divertido, sem nenhuma pressa de acabar. Estou louca para ter o meu. 



SINOPSE: 

''Wreck This Journal’ é um livro ilustrado que contém uma perturbadora coleção de tarefas que pedem aos leitores que juntem suas melhores habilidades em erros e bagunças para completar as páginas do livro (ou destruí-las). Através de uma série de criativas e ilustradas tarefas, Keri Smith quer encorajar seus leitores em atos “destrutivos” – deixando buracos em páginas, adicionando fotos e estragando-as, manchando páginas com café, pintando fora das linhas e mais – com o objetivo de experimentar o verdadeiro processo criativo. Através da sensibilidade de Keri, leitores são introduzidos a uma nova maneira de fazer arte, descobrindo maneiras de escapar do medo de páginas em branco e entrando completamente no processo criativo.                               

- Bíblia. 

E o último livro é a Bíblia, uns vão gostar e outros não. Porém para quem é cristão, ou é de outra religião, e até menos quem não é. É sempre bom ler a Bíblia, é onde possamos sentir a presença de Deus e saber a vontade dele. Na Bíblia Deus fala conosco, e nas orações nós falamos com ele. Portanto, é um livro que tem o propósito de apresentar Jesus ao homem. Pois tudo aponta para Jesus Cristo. ''A Bíblia é o livro mais sábio e completo que existe, é impossível alguém se envolver com o estudo bíblico e não sofrer uma mudança de vida. Milhares e milhares de pessoas, entre elas EU, tiveram suas vidas completamente modificadas com os ensinamentos bíblicos.'' Vou confessar que não leio a Bíblia todos os dias, mas quero ler nem se quer um versículo por dia. Estou tentando rsrs. Posso não ter muito conhecimento da Bíblia, mas amo ler pois me sinto calma e em paz, me esqueço completamente das coisas de fora e somente me concentro na palavra de Deus. Por isso super indico lerem a Bíblia. 

Mas como leio a Bíblia? Primeiramente antes de ler a Bíblia, faça uma oração. Não sabe orar? Simplesmente diga: ''Senhor, quero conhecer a sua palavra e entender a mensagem que ela tem para a minha vida.'' Ou como você preferir, mas diga de coração.

Leia, reflita, medite, analise cuidadosamente, envolva-se.


Tenha absoluta certeza que neste momento o próprio autor da Bíblia estará ao seu lado para te ajudar a compreender aquilo que ele revela apenas aos humildes de coração.























Mateus 11:25 
Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.






Bom amoras, estar ai o post. Espero muito que tenham gostado, 
se gostou, deixe seu comentário e siga o blog.
Deu trabalho viu? Rsrsrs
Enfim, desculpem pela demora, ando
com aquela preguiça chata sabe? 
Mas estou com umas ideias bem legais para
postar para vocês, que em breve estará
aqui no blog para vocês conferirem. :)
Vou ficando por aqui, um beijão e
até mais. 


(Algumas coisas vi na internet, e achei interessante colocar aqui. Então
não se assuste se você ver alguém seu aqui. Então o crédito é seu.) 



Fanfic Harry Styles Loucuras em Londres - 2° Capítulo - 2° Temporada.

20 dezembro, 2015 Nenhum comentário

Fanfic Harry Styles Loucuras em Londres - 2° Capítulo - 2° Temporada.


~ No Capítulo Anterior. ~


Williane: Ah ele não fez isso... – disse e foi em direção à Robert.

Eu: Não Williane, não vamos piorar as coisas, precisamos se acalmar e achar a Bel. – disse impedindo que ela chegasse a Robert.

Rafaela: Ela tem ração Willi, precisamos se acalmar e achar a Bel. – disse concordando.

Eu: Eu sei quem pode nos ajudar. – disse encarando elas. 


~ AGORA ~


~ Harry POV’s ~


E lá estávamos nós em mais uma reunião da banda, eu estava com dor na cabeça e meu pensamento estava longe. Pensava na Izabel, onde será que ela estava? Mandei mil mensagens para ela desde cedo e ela não me respondeu, nem se quer visualizou. Passei as mãos nos os olhos respirando fundo, balancei a cabeça negativamente doido para sair daquele lugar. Eu nem se quer fazia questão de prestar atenção no que Simon e nossa equipe falava, era sempre as mesmas coisas. Mas shows, lançamento de perfume, CDS, e várias outras coisas que não estava interessado em saber.

Simon: Harry? – chamou-me pelo nome. Eu pisquei confuso e apenas concordei.

Niall: Terra chamando Harry. – estalou os dedos próximo ao meu rosto.

Eu (Harry): O que foi? -  perguntei confuso.

Liam: A gente está falando da data do show, qual dia vamos marcar, que dia você sugere? – perguntou ele. Eu encarei todo na sala e apenas dei ombros. Ouvi Niall gargalhar, e eu revirei os olhos.

Simon: O próximo show de vocês será aqui em Londres mesmo, dia 31 outubro combinado? Depois resolvemos mas alguns detalhes, e acerta as coisas. Reunião encerrada, até mas rapazes. – disse e se levantou indo embora. Todos nós concordamos e nos despedimos de Simon e do resto da reunião. Estávamos no saguão do apartamento, esperando o Niall voltar com a comida dele. Estava sentado numa poltrona olhando o nada, Izabel veio no meu pensamento de novo, peguei meu celular no bolso da calça, e novamente sem nenhuma mensagem ou ligação dela. Percebi alguém sentar ao meu lado, olhei era Liam.

Liam: O que foi cara? Você está com o pensamento longe desde da reunião. Aconteceu alguma coisa? – perguntou me encarando seriamente.

Eu: Só estou preocupado. – disse frio.

Liam: É a Bel né? – perguntou já sabendo da minha resposta. Sorri ao lembrar da forma carinhosa que a chamamos. Eu apenas concordei, e respirei fundo mantendo a calma. – Aconteceu alguma coisa com ela? – perguntou ele.

Eu: Eu não tenho notícias dela desde de cedo... – disse nervoso.

Liam: Liga para ela, ué? – deu ombros.

Harry: Você acha que eu não tentei? Está dando fora de área, já mandei milhões de mensagens e nada... – suspirei. E o meu celular que estava no braço da poltrona, começou a vibrar. Olhei no visor, e era a Letícia. Assim atendi...


~ Ligação On ~


Letícia: Alô? Harryyy? – disse ofegante.

Eu: Oi Lêh. – disse eu.

Letícia: Eu preciso da sua ajuda... – disse nervosa.

Eu: Pode fala. – disse calmo.

Letícia: É a Izabel... – pude ouvir sua respiração, que estava um pouco fora do normal. – Ela sumiu... de novo. – disse respirando fundo. Na mesma fora eu fiquei sem chão e sem reação, eu levantei desesperado e Liam se levantou comigo assustado.

Eu: O-QUÊ? – perguntei nervoso.

Letícia: Ela sumiu, saiu correndo de casa e não sabemos para onde era foi. Só sabemos que ela foi em direção ao oeste, já ligamos para o celular dela, mandamos milhares de mensagens e nada dela atender. Vem para casa, eu te explico melhor. – puder ver o tom de nervosismo em sua voz. Senti um aperto em meu coração que batia acelerado, comecei a andar de um lado para o outro nervoso.

Eu: Eu não acredito. – disse passando as mãos pelos cabelos. – O que ela tem na cabeça? – disse alterado. Recebi alguns olhares das pessoas, mais não me importei.

Liam: O que foi Harry? – perguntou colocando sua mão direita em meu ombro.

Eu: Eu também quero saber, ela é uma cabeça de camarão isso sim. – disse irritada. – Vem aqui em casa, conversamos melhor e pedimos ajuda para procurar por ela. Só não demore muito. – pediu com calma.

Harry: Tudo bem, já estou a caminho... – disse e assim desliguei sem espera que ela falasse algo mais. – Eu preciso da ajuda de você e dos meninos. – disse olhando para Liam.

Liam: Pode falar cara... – disse concordando.

Eu: Ei, pessoal preciso muito da ajuda de vocês. Cadê o Niall? – procurei por ele ao redor. Vi que ele estava apoiado com os cotovelos numa bancada comendo um hambúrguer. – NIALLLL – gritei chamando pelo seu nome. Vi que ele tomou um pequeno susto, e caminhou até mim.

Niall: O que foi Harold? – perguntou de boca cheia.

Eu: Como eu disse, preciso da ajuda de todos vocês. – disse novamente.

Zayn: Desembucha logo cabeludo. – disse debochado. Eu respirei fundo antes de dizer.

Eu: A Izabel desapareceu... – disse de uma vez.

Niall: O--que? – perguntou engasgado.

Liam: Como assim Harry? E para onde ela foi? – perguntou indignado.

Eu: Eu não sei, falei com a Letícia agora pouco e ela disse que a Izabel fugiu para o oeste. Única coisa que sabemos, ela disse para irmos para a casa dela, lá ela via nos explicar melhor.

Louis: E então vamos logo. – disse se levantando.

Zayn: Vamos então... – nos levantamos e saímos do prédio. Chamamos Paul, e pedimos que nos levasse até a casa das meninas. Logo chegamos, e Mylene nos atendeu. Assim que entramos na casa, vimos Letícia em pé e as outras meninas sentadas, e aliás tinha um homem sentado se costa no outro sofá. O que eu achei que fosse o pai de Izabel ou de alguma das meninas.

Letícia: Harryy. – disse assim que me viu. Correu até a mim e me abraçou. – Que bom que veio logo... Oi meninos. – disse simpática.

Liam: Oi Lêh. – abraçou ela.

Niall: E ai baixinha. – assim abraçou ela. Os outros somente cumprimentou ela e ela disse para que sentássemos no sofá.

Eu: Me fala, o que aconteceu? – perguntei paciente.

Letícia: Érr... – me encarou e depois encarou o homem que estava sentado no outro sofá. – Promete que vai ficar calmo? – pediu.

Eu: Sim. – afirmou.

Letícia: Esse é Robert, pai da Beel... – disse nervosa.

Robert: Então é você? Que namora minha filha, quais são suas intensões sobre ela? – cruzou o braço.

Letícia: Agora não Robert. – disse rude.

Eu: Continua Letícia. – pedi.

Letícia: Então, a Izabel e o Robert tiveram uma discussão feia e acabou não dando certo. E ela saiu correndo sem dizer para onde iria... – respirou fundo.

Eu: Tá. E o que não deu certo? – encarei ela e Robert.

Letícia: - ela encarou Robert, como se tivesse pedido permissão para falar.

Robert: Eu perdi a cabeça, e bati nela. Foi isso que aconteceu. – bufou e se sentou no sofá colocando a mão na cara. Eu estava completamente sem acreditar no que ele avia dito, meu sangue ferveu. Passei a mão pelo cabelo, tentando manter a calma.

Eu: VOCÊ O QUE? – antes mesmo de alguém tentar me segurar, já estava agarrando a gola na camisa dele. Com uma vontade imensa de socar a cara dele, não estava acreditando. – FALA SEU COVARDE. – gritei raivoso.

Letícia: Harryy, solta ele. – falou alterada.

Eu: Não até ele falar o que aconteceu. – disse grosso.

Robert: Eu bati na minha pequena, de novo. – disse chorando.

Eu: DE NOVO? EU VOU MATAR VOCÊ. – disse com raiva.

Liam: Harry, solta ele cara. Brigar agora não vai adiantar nada, já gente precisa procurar pela Izabel antes que escureça. – disse sem tirar os olhos de mim. Ele tentava me separar de Robert, para que eu não batesse nele. Eu suspirei mantendo a calma, e finalmente empurrei soltando ele com raiva.

Eu: Sabe qual é minha intenção com ela? Amá-la dá maneira que ela nunca foi amada, cuidar e tratar ela da maneira que merece ser tratada. Dá maneira que você não trata ela, ser o amigo que você deveria ser. Ser o cara, que todos os dias possa se deitar ao lado dela, e se esquecer completamente do mundo porque tem ela ao meu lado. Dizer que a amo todos os dias, quero que ela seja meu primeiro e último pensamento do dia. Ser o primeiro a tocá-la. Quero ser o amor da vida dela, ser homem que ela jamais amou. Poder me casar com ela, ter filhos e viver ao seu lado. Dar uma vida a ela, uma vida que todo garota merece. Não me importo com o que ela tenha ou deixa de ter, por que eu a amo com o coração, e não com os olhos. Posso não ser a melhor pessoa do mundo para você ou para as pessoas. Mas eu daria tudo para vê-la sorrir, eu largaria tudo só para ser feliz ao seu lado. Eu a amo da maneira que nunca amei nenhuma garota antes, eu sempre vou estar ao lado dela. Nas horas mais difíceis e nas horas mais felizes. E não importa o que vão disser. Eu somente a amo, e nada mais importa. – disse alterado encarando ele furioso. Não consegui me controlar, simplesmente saiu tudo o que eu queria dizer. Pode até fazer pouco tempo que nos conhecemos, mas tem algo em meu coração que jamais senti antes. E quero que gritar para o mundo saber que a amo. Então escutamos a porta abri vagarosamente, e escutei sua doce voz dizer.

Izabel: Isso é verdade? – ela disse me encarando.

Letícia: Bel. – disse e correu até ela dando um abraço nela. Ela ficou parada sem reagir, e continuou olhando para mim.

Izabel: O que ele ainda faz aqui? – disse apontando para Robert.

Robert: Querida! – ele se levantou indo até ela.

Izabel: Vai embora. – disse abrindo a porta e segurando a maçaneta da porta.

Robert: Me perdoa? – perguntou.

Izabel: Vai embora. – disse entre os dentes. Ele suspirou, e saiu pela porta sem dizer algo. Ela bateu a porta em seguida, ela encarou a gente. E subiu as escadas...

Letícia: Bel? – a chamou. Ela parou no penúltimo degrau, e olhou de canto sem nos encarar. – Onde você vai? – perguntou. Ela suspirou, e olhou para cima.

Izabel: Pro meu quarto, preciso ficar sozinha... – disse fria e foi para seu quarto. Letícia bufou, e se jogou no sofá cruzando os braços.


Isabel: Érrr... – balançou a cabeça fazendo careta. – Que barra... – disse erguendo as sobrancelhas. Niall gargalhou fazendo gargalhamos também. Eu me sentei no sofá, e fiquei quieto. Como ela conseguiu ouvir? Ela não disse nada... Estava pensativo quando Letícia me cutucou com o cotovelo.

Letícia: Ei! – disse me chamando baixinho. – Não fica assim, ela está chateada com o que aconteceu. Ela vai falar com você, não se preocupe. – sorriu de leve. Eu apenas fiquei de cabeça baixa pensando no que ela avisa falando, respirei fundo e dei um sorriso forçado. Passaram-se uma meia horas depois, e ela não avia saído do quarto até agora. Até os meninos foram embora, menos Niall que ficou vendo filme com a Isabel comendo batata no sofá. É, belo casal.


Eu: Eu vou subir... – disse me levantando sem paciência. Letícia tentou me impedi, mas eu virei as costas e subi assim mesmo. Fui até a porta no seu quarto, e fiquei encarando a porta alguns segundos antes de bater... 

Olá amoras, bom estou de volta. Finalmente postei o capítulo 
dois da Fic. 
Sim, eu demorei bastante para postar, tinha até me esquecido dela.
Enfim, espero que gostem, comentem e seguem o blog. :)
Um beijo e até já!




#TAG: DESCOBRINDO NOVOS #BLOGS

19 dezembro, 2015 Nenhum comentário

Olá amores, bom hoje vim fazer uma Tag que eu fui indicada pela Luiza do blog Estilo. Quem tem? Ela foi uma fofa escolhendo meu blog, e obrigada Luh. Fazia tempo que eu não postava um tag, e então está ai haha. Espero que gostem, e deixe seu comentário do final. Sem demais, e vamos a tag!  

As regras são:

  • Agradecer a indicação, colocando o nome e o blog da pessoa que te indicou;
  • Responder às perguntas abaixo;
  • Indicar até 10 blogueiros para responderem a tag;
  • Avisá-los do convite;
  • Formular 10 perguntas para eles responderem
  • Deixar o link da tag respondida nos comentários.

As 10 perguntas que eu recebi foram:


1- Quantos anos ou meses tem seu blog?

9 meses.

2- Mora onde? Estado e País?

Rio de Janeiro/Brasil.

4- Já pensou morar fora do país?

Sim, gostaria de ter essa experiência de morar em outro país.

5- Um sonho?

Apesar de ter vários, quero muito conhecer a One Direction.

6- Uma meta para 2016?

Continuar nos caminhos do Senhor.

7- Fale 2 melhores momentos que você teve em 2015?

Meu batismo, acho que ele vale para os outros.

8- Qual sua idade? Sua profissão no momento?

14 anos. No momento não trabalho profissionalmente. 

9- Qual sua maior qualidade?

Sou persistente, e não desisto dos meus sonhos e objetivos fácil.

10- Porque decidiu ser Blogueira?

Como já disse, amo escrever e gosto da ideia de compartilhar as coisas com as pessoas. E o blog seria uma forma de me interagir com as coisas e com as pessoas. 



Blogs Indicados:





As minhas 10 perguntas que as blogueiras indicadas responderam!



1 - Quantos anos ou meses tem seu blog?

2 - O que levou você a criar o blog?

3 - Mora onde? 

4 - Duas metas para 2016?

5 - Maior sonho?

6 - Qual sua idade?

7 -  O que mudaria sua vida para melhor?

8 - O que te inspira? 

9 - Se pudesse ser ou fazer algo de extraordinário para si e para os outros, o que seria?

10 - Me dê um conselho?



Bom amores, foi essa a tag, espero muito que gostem. E desculpem pela demora, estou tentando não demorar para postar, mas as coisas as vezes complica. Enfim, vou ficando por aqui, um beijo e até mais! 







Fanfic Harry Styles – Hey Angel – 7° Capítulo.

16 dezembro, 2015 1 Comentário

Fanfic Harry Styles – Hey Angel – 7° Capítulo.


~ (S/N) POV’s ~


Acordei sentindo a luz do sol batendo em meu rosto, resmunguei com preguiça de levantar. Olhei no relógio no criado mudo, e eram 7:00 da manhã. Olhei para meu lado direito, e vi Harry dormindo tranquilamente na poltrona.



Levantei o tronco do corpo ficando sentada na cama, suspirei e dei um jeito no cabelo. Bufei lembrando o que eu iria fazer o dia inteiro pressa nesse castelo, pensei, e avia lembrando que eu tinha aula amanhã. Mas como eu iria se eu não posso sair daqui? Levantei com pressa da cama tropeçando nos lençóis e fui para o banheiro. Escovei os dentes, arrumei meu cabelo e tomei um banho rápido. Logo sai, e procurei por uma roupa no guarda roupa, assim que escolhi, voltei para o banheiro e me vesti


Logo sai, e Harry ainda estava no seu sono profundo. Resolvi não acorda-lo, iria dar um tour pelo castelo sozinha. Abri a porta e pus a cabeça para o lado de fora. Não vi ninguém, ufa, menos mal. E agora? Que lado eu iria? Esquerdo ou direito? Bom, se eu fosse para o esquerdo iria dar no salão principal que eu saiba, e para o lado direito eu ainda não sei. Então vamos descobrir, fechei a porta bem devagar e sai caminho pelos grandes corredores. Ia observando cada detalhe dele, o papel de parede claro com detalhes dourados, lustres dourados e grandes. Ficando pensando o quanto isso custou uma fortuna. Quando cheguei no final do corredor, tinha uma escada no canto esquerdo e direito, logo a frente vinha mais um corredor. Resolvi descer, e sai num salão, só que menor do que o principal.


Observei ao redor e fiquei de boca aberta ao ver o salão que parecia uma sala de estar. No final do salão tinha alguns sofás na cor bege, as velhas enfeitavam o ambiente, o teto tinha imagens de anjos e de outras coisas que eu não sabia o que eram.


Olhei para o lado esquerdo, e vi uma porta não tão grande de vidro. Quando até a porta, fui interrompida por alguém falando algo.

Xxx: Está perdida? - perguntou. Eu me virei, e encarei o homem em minha. Ele usava um tipo de armadura preta, e tinha uma espada em sua cintura. Dava para ver seu rosto claramente, a pele cara, olhos castanhos escuros e seus cabelos escuros. Eu apenas neguei com a cabeça por sua pergunta, ele sorriu de leve e voltou a me encarar. - Você deve ser a (S/N) né? - perguntou.

Eu (S/N): Sim, por que? - perguntei estranhando.

Xxx: Porque você é bem conhecida por Arendelle, acredite, todos te adoram. - disse olhando as flores em cima de uma mesinha ao seu lado e logo em seguida olhando para mim.

Eu: Como assim? Onde está querendo chegar? - cruzei os braços.

Xxx: Você não sabe? Seus pais... - disse mais foi interrompido. Era Harry, de novo.


Harry: Cai fora Luke. - disse alterado e frio. Ele olhou imediatamente para Harry e logo em seguida para mim. Ele concordou com a cabeça, e saiu andando de costa piscando para mim. Logo ele saiu e deixou somente eu e Harry a sós. Revirei os olhos bufando, estou cansada das pessoas esconderem as coisas de mim. Sem pensar, sai pela porta de vidro e observei o fundo do castelo, que era um jardim pequeno. Tinha uma árvore com dois balanços de madeira pendurado, fui até lá, e me sentei em um dos dois. Logo pude observar Harry caminhando calmamente em minha direção, revirei os olhos com isso e me balancei devagar. Assim que ele chegou até mim, ele me encarou e sorriu de leve. Observei ele se sentando no balanço ao lado e suspirando pensativo.

Eu: No que está pensando? - perguntei quebrando o silêncio.

Harry: Em alguma maneira de te explicar tudo. - disse olhando para chão.

Eu: É só dizer... - disse sussurrando.

Harry: Só prometi não chorar? - perguntou me encarando nos olhos.

Eu: Uhum. - concordei sorrindo fraco.

Harry: É que... Você pode achar que é apenas uma garota de 19 anos, mais você não é (S/N) ... Os seus pais biológicos morreram quando você iria completar dois anos de idade, e Thereza era apenas sua mãe adotiva, a minha mãe que a enviou para seu país para protege-la. Dara e Uriel, lutavam na guerra dos anjos para proteger o reino de Arendelle. E então eles perderam, e acabaram morrendo, ou melhor, voltando para casa... – disse olhando para mim com um olhar de tristeza. Eu permaneci calada e de cabeça baixa. Não estava acreditando que meus pais bióticos morreram, e que Thereza me não me contou. Não que eu esteja querendo pôr a culpa nela, mas era só ter me contado.

Eu: Como eles eram? Os meus pais... – perguntei com os olhos cheio d’água.

Harry: Olhe no seu colar. – disse para mim. Então lembrei que eu tinha um colar desde de pequena, Thereza dizia que não era para mim tirar, pois me daria sorte e proteção. E então eu nunca mais o tirei. Tirei o colar do meu pescoço, e parei para encarar nos seus detalhes.


Ele era dourado e tinha o formato de coração, e com alguns detalhes nele. O abri, e vi uma foto antiga que tinha quatro pessoas nela. Imaginei que a bebê no colo de uma mulher fosse eu, que a mulher fosse minha mãe Dara, e que o homem alto com o braço esquerdo no ombro da Dara fosse meu pai Uriel. E avia um garoto, que aparentemente tinha uns 16 anos nela.

Eu: Quem é? – perguntei apontando para o garoto.

Harry: Seu irmão, Castiel. Mas não precisamos falar dele... – engoliu o seco.

Eu: Por que? – perguntei.

Harry: Ele é um idiota. – disse frio.

Eu: Está bem, e o que aconteceu depois que meus pais se foram? – perguntei olhando para ele que não olhava para mim. Ele demorou um pouco para falar, mas logo me encarou dizendo...

Harry: Killgrave o rei do inferno, iria tomar a alma de uns dos filhos de Dara e Uriel caso perdessem a guerra. E foi isso que aconteceu, Killgrave então foi atrás de você, que era a filha mais nova de Dara e Uriel. Mas Thereza fugiu do castelo com você e a levou para bem longe daqui. Onde Killgrave jamais a encontraria. E então ele disse que iria destruir a cidade e o reino de Arendelle caso não achasse você. Ele tentou, mais a cada dia que se passava o reino ia ficando mais forte, e eu meus poderes ia aumentando... Por isso você conseguia me ver, eu estava aqui, mas sempre estava por perto de você. Sempre estava te protegendo e a sempre vou proteger lá. - disse encarando o chão. Já podia sentir a lágrima querendo sair e um nó na garganta. Tudo que aconteceu... era para sua proteção. – disse.

Eu: Aham... – balancei a cabeça positivamente indignada. – Minha proteção... – dei ombros. – Pessoas morreram pela minha proteção Harry, por causa de mim. – disse me levantando e senti uma lágrima sair pelos meus olhos.


Harry: Todos nós sabíamos que você não era apenas um bebê como qualquer outro, era algo a mais, você tem algo que faz as portas do inferno estremecer. E sabíamos o que estava por vim. - disse me encarando.


Eu: E o que eu tenho? - perguntei sentindo uma lágrima saindo dos meus olhos. Ele levou sua mão até ao meu coração e disse.

Harry: Isso! - disse pondo a mão nele. - Um coração puro e verdadeiro. - disse e seus olhos brilharam. - Eu sei que pode estar achando isso tudo uma loucura, mais acredite, não é. Tudo isso existe, o mal, o inferno, demônios, Arendelle, gárgulas, e nós, anjos. - disse afirmando com a cabeça.

Eu: Nós? - perguntei confusa.

Harry: Sim. - afirmou. - Eu sou um anjo e você também é. - disse. Eu ri forçado, mas estava chorava ao mesmo tempo.

Eu: Anjos? Eu sou um anjo? Só pode ser brincadeira, eu estou num pesadelo, só pode. - neguei com a cabeça e virei de costas indo em bora.

Harry: Espera (S/N). - me puxou pelo braço, mas eu soltei dele brutamente.

Eu: Esperar? - falei alterada me aproximando dele. - Você não tem noção? A minha vida é uma mentira Harry... - engoli o seco. – Você sabe como eu me sinto? Eu estou destruída e magoada, o tempo todo esconderam a minha vida de mim mesma. Eu ao mesmo tempo me sinto culpada, os meus pais morreram, a Thereza morreu por minha culpa. Eu tenho um irmão que simplesmente nem conheço, e que provavelmente deve estar morto... – dei ombros o encarando e chorando.


Harry: Eu sinto muito... – disse e uma lágrima escorreu pelo seu rosto.

Eu: Eu não tenho ninguém Harry... Eu não tenho família... – disse embolado por causa do choro.

Harry: Mais você tem a mim. – disse me encarando nos olhos. – Eu sempre estarei aqui, sempre estive... – disse pondo a mão no meu rosto e colocando uma mexa do meu cabelo para trás. Eu abaixei a cabeça e pus a minha mão em cima da sua fechando os olhos e sentindo o seu toque macio. Ele me puxou para um abraço, e fiquei na ponta do pé por causa da sua altura e pus minha cabeça em seu ombro me envolvendo no eu abraço protetor.


Ficamos um tempo assim, até minha barriga começar a roncar.

Harry: Acho que tem alguém com fome. – disse rindo baixinho. Eu gargalhei e me soltei do seu abraço com vergonha.

Eu: Ér... – ri de mim mesma. Limpei o resto das lágrimas e o encarei.

Harry: Vem, vamos comer algo e eu vou levar você para conhecer minha mãe, a rainha. – disse me puxando pela mão. Mais eu fiquei imóvel e não sai nem se quer do lugar.

Eu: A rainha? – perguntei chocada.

Harry: Sim. – disse concordando.

Eu: Não vai dar. – disse me soltando dele.

Harry: Por que? – perguntou confuso.

Eu: Olha meu estado. – disse indignada.

Harry: O que tem? – disse me analisando de cima para baixo.

Eu: Eu estou parecendo um zumbi, e eu não tenho uma roupa adequada. – disse cruzando os braços. Ele revirou os olhos e riu da minha cara.

Harry: Você não precisa se vestir como uma princesa para ver a rainha. – revirou os olhos e me arrastou para dentro do castelo novamente. Ele nos levou para a copa do castelo, que era imensa e bem decorada. A rainha estava sentada na grande mesa, já tomando seu chá ou café. – Mãe. – ele a chamou. Ela imediatamente olhou para ele e olhando para mim dando um sorriso de leve e se levantando.

Xxx: Querido! – disse carinhosa e esticou os braços para ele abraçá-la.

Harry: Oi mãe. – disse dando um beijo em seu rosto.

Xxx: Como o macinho estar? – perguntou meiga.

Harry: Bem... – disse e sorriu. Ele olhou para mim e estendeu a mão pra mim. – Vem cá. – disse baixinho. Eu me aproximei e peguei sua mão. – Essa é (S/N), (S/N) essa é minha Anne. – disse sorridente. Ela olhou pra mim e sorriu. Eu não sabia o que fazer e nem como reagir.

Anne: Eu imaginei. - sorriu e me olhou nos olhos. - Você está muito bonita, é um prazer conhecer-lá. - disse gentil. Ela se aproximou e me cumprimentou com abraço e leve beijo em minha bochecha.

Eu: Obrigada, o prazer é meu. - sorri.

Anne: Sentam-se, aceitam um café ou um chá? - perguntou nos olhando.

Harry: Eu aceito um café. - disse se sentando ao lado de sua mãe. Eu fiquei em pé pensando na pergunta, até perceber que eles me encaram. - Você não vai se sentar? - perguntou me olhando.

Eu: Ah, sim. - disse e ia sentar ao lado de Harry mais Anne me interrompeu.

Anne: Não, sentisse ao meu lado. Você só pode sentar ao lado de um homem numa mesa se for esposa dele. - disse me impedindo. - Regras do Castelo. - disse e bebeu seu chá.

Eu: Okay... - disse e fui até o lugar ao seu lado. Me sentei e olhei as comidas que aviam na mesa. - Só tem chá e café? - perguntei olhando para ela.

Anne: Não. - riu. - O que você deseja? - perguntou.

Eu: Bom... - suspirei. - Eu tenho uma lista de desejos, quer conferir? - perguntei irônica. Ela parou por um instante confusa sem entender o que eu avia dito, e Harry gargalhou da cara de sua mãe. - Estou brincando. - falei rindo. Ela parou e riu da minha piada sem graça. - Eu quero um suco de uva, por favor. - pedi educadamente.

Anne: Hershel. - chamou por alguém. Um senhor de avental preto e luvas brancas nas mãos apareceu, e fez reverência ao ver a rainha.

Hershel: O que a senhora deseja Majestade? - perguntou assim que fez a reverência.

Anne: Um suco de uva para a (S/N), por favor. - pediu. Ele assistiu e saiu, não demorou nem um minuto ele já estava de volta com o suco em uma bandeja dourada.

Hershel: Aqui está senhorita. - disse pondo o suco em minha frente.

Eu: Obrigada. - disse sorrindo de leve. Peguei duas torradas e frutas, e botei no meu prato. Assim comecei a comer, logo tinha terminado e percebi que Harry me encarava com um sorriso nos lábios.

 

Vi que Anne estava lendo uma revista de moda e parecia bem concentrada nela. Me levantei pedido licença para a rainha e fui procurar o caminho para meu quarto.

Harry: Onde vai você vai? – perguntou me seguindo.

Eu: Ao meu quarto... – disse fria.

Harry: Está indo por lugar errado... – disse parando de andar. Eu bufei revirando os olhos e parei de andar. Dei meia volta e fui em sua direção. – É por aqui... – disse apontando para o sentido ao contraio que eu estava indo.

Eu: Obrigada. – disse rude e passei direto sem olhar para ele. – Dá pra parar de me seguir? – perguntei parando novamente e cruzando os braços.

Harry: Se você quiser ficar perdida por ai tudo bem... – disse frio e encostou na parede colocando as mãos no bolso da calça. Eu respirei fundo, e o encarei fazendo careta.

Eu: Você pode me levar ao meu quarto? – perguntei baixinho.

Harry: Fala mais alto, eu não te escutei... – disse pondo a mão no ouvindo.

Eu: Você pode me levar ao meu quarto? – perguntei fazendo careta.

Harry: Fazendo? ... – perguntou debochado.

Eu: Que se dane. – falei irritada. Me virei de volta seguindo o caminho que ele avia falado, mas ele continuou a me seguir.

Harry: Calma estressadinha. – disse irônico. Eu olhei para ele com uma cara mortal, e ele ficou sério. E então ele me levou até meu quarto, eu entrei e ele ia entrar também mais eu impedi.

Eu: Quero ficar sozinha Styles. – disse pondo a mão em seu peitoral.

Harry: Tudo bem... – disse suspirando. Eu então fechei e fiquei encarando a maçaneta por alguns segundos. – Eu levo você até a sua casa se quiser... – disse do outro lado da porta. Pensei no que ele avia dito, e rapidamente abri a porta com um sorriso.

Eu: Você me leva? – perguntei animada.

Harry: Sim. – sorriu de leve.

 

Eu: Ahhhhhh – gritei pulando no seu colo. Ele ficou sem reagir no começo, mas me abraçou também. – Eu vou me arrumar. – disse sorrindo desgrudando dele e indo até o guarda roupa.

Harry: Está bem. – disse e sorriu. Ele entrou e fechou a porta atrás de si. Peguei uma roupa no armário e entrei no banheiro. Assim fechei a porta e vi uma coisa que eu não estava acreditando no que estava vendo.

Eu: AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH – gritei assustada.


 Tinha uma mulher morta na banheira, e essa mulher era... Thereza. Não pode ser... Era ela, eu tinha certeza. Era o corpo dela, eu estou ficando maluca. Ai meu Deus.

(


Harry: O que houve? – perguntou desesperado assim que abriu a porta vagarosamente. Ele olhou para a banheira e arregalou os olhos ao ver que era Thereza. – Vai lá pra fora e chame os guardiões. – disse sem tirar os olhos da banheira. Eu fiz o que ele pediu e chamei os guardiões que ficavam no corredor. Logo apareceu uns 10 homens, e a rainha vinha atrás com outros 3 guardiões atrás dela. Provavelmente ela já sabia o que tinha acontecido.


Anne: Querida! – ela me chamou estendendo os braços. Ela me abraçou e eu comecei a chorar em seus braços. – Levem ela para minha sala. – disse aos guardiões. Uns três homens me levaram até a sala da rainha me deixando lá. Dois homens ficaram do lado de fora, e um do lado de dentro encostado na porta. E então eu me sentei numa poltrona de couro vermelha e fiquei esperando alguém chegar. Ou alguém me explicar o que estava acontecendo. 




Olá amoras, como vão vocês? Bom, sei que só 
ando postando fanfics aqui no blog. Mais tem 
novas postagens vindo por ai hehehe, então não se preocupem. 
Desculpem a demora, eu tive bastante dificuldade para escrever
este capítulo, tive que pensar muito. Sério, me perdem a demora.
Mais enfim, espero que gostem, comentem o que achou e 
um super beijo. 










 
Desenvolvido por Michelly Melo.